O que aprendemos em 2020?

Examinar o papel positivo da mudança na perspectiva de uma organização.

Pense no último erro que você cometeu. Talvez tenha sido hoje de manhã ou talvez até ontem à noite. De qualquer forma, quando você é responsável por isso, a pergunta que você tem que se fazer é: O que eu aprendi?

Bem, na sequência do erro global que chamaremos de 2020, aprendemos que podemos lidar com praticamente qualquer coisa. Vai trabalhar remotamente? Claro! Completamente remoto? Certo. Não tem voltado ao escritório há mais ou menos um ano? Ah, sim, tudo bem.

As empresas atuaram rapidamente e, ao longo do ano, reforçaram suas capacidades tecnológicas e melhoraram seu desempenho. E agora, à medida que olham para o futuro, eles estão satisfeitas com o que estão vendo. De acordo com um recente artigo global do The Economist Group:

Devido aos seus investimentos em eficiência e produtividade, as empresas colocaram o crescimento de volta no radar.

Como eles assumiram ferramentas para cortar custos e economizar de forma mais eficaz, eles estão vendo a esperança real no horizonte.

Como eles investiram em melhorias quando foi assustador investir em tudo, eles se comprometeram com a melhoria contínua, e isso os posiciona bem contra qualquer reviravolta econômica futura.

O artigo do The Economist Group é baseado em várias pesquisas, inclusive uma amostra de 550 executivos seniores em 11 países, e sua opinião é refrescantemente otimista. Ele também está repleto de percepções sobre o que será necessário para ver essa perspectiva positiva.

Uma das iniciativas principais é o controle de custos, particularmente no terreno do gerenciamento de viagens e despesas (travel & expense,T&E). Porque quando você pode lidar com esses custos de forma mais eficiente, você pode avançar mais rapidamente em direção ao crescimento. Quase 90% dos executivos concordaram, dizendo que o aumento da velocidade e flexibilidade no gerenciamento de T&E é fundamental para que suas organizações continuem lucrativas e cresçam.

O artigo também se aprofunda um pouco mais nos detalhes, destacando áreas essenciais e de alta prioridade nas quais as empresas investirão, usando novas tecnologias para:

  • Acesse dados e análises em tempo real: Obtenha mais do que informações, obtenha inteligência apoiada por IA e machine learning e aproveite ao máximo todos os dados que você tem.
  • Identifique economias de custo: Veja mais do que você está gastando, identifique tendências e anomalias e economize em todos os lugares, desde menos erros humanos até negociações mais fortes.
  • Aplique consistentemente políticas de despesas ao longo de toda a empresa: Configure pré-aprovações para que você possa manter os gastos em linha e, em seguida, audite automaticamente 100% de suas despesas e faturas para que você saiba que está tudo dentro da política.
  • Melhore a recuperação e reivindicação de IVA: Obtenha a sua fatia dos US$ 40 bilhões em impostos de valor agregado e não deixe mais nada em suspenso.

As empresas já estão começando a ver esses resultados, e esperam ainda mais à medida que continuam a investir. Elas estão colocando recursos nos tipos de melhorias tecnológicas que fornecem mais visibilidade sobre gastos, mais controle sobre os custos, mais confiança na reivndicação de impostos e maneiras mais tangíveis de impulsionar o crescimento.

Elas estão investindo em ferramentas para se preparar e superar as mudanças, e isso está funcionando.

O que podemos aprender com isso?

Tags:

Aplicativos