Do supérfluo ao indispensável: quatro dicas para acelerar a transformação digital

22/05/2020

Em uma época em que o trabalho remoto se tornou a nova norma, as expectativas em relação às ferramentas digitais e aos serviços automatizados nunca foram tão altas e continuam aumentando. Uma pesquisa global da McKinsey constatou que mais de oito em cada dez entrevistados em diferentes setores digitalizaram as operações nos últimos cinco anos. No panorama desafiador e de mudanças rápidas da atualidade, as empresas tiveram que se articular rapidamente, sem precedentes em muitos casos, e descobrir maneiras de se automatizar à medida que avançam.

 

Muitas empresas tiveram sucesso ao automatizar processos e criar recursos para ajudar os colaboradores a acompanhar remotamente as operações comerciais. Mas a digitalização de tarefas e serviços exige tempo, comprometimento e, na maioria dos casos, treinamento. Se for feita com muita rapidez, um descompasso entre a empresa e seus colaboradores (ou clientes) pode gerar resistência à mudança e à inovação.

 

Confira a seguir quatro dicas para ajudar as empresas a gerenciar a transformação digital acelerada:

 

1. Redefina os serviços.

O ano de 2020 e a evolução de uma força de trabalho remota testaram a durabilidade e a flexibilidade das empresas. Considere, como exemplo, a gestão de despesas: gerenciar volumes sem precedentes de faturas de fornecedores com eficiência quando a equipe está descentralizada tem sido um desafio para os departamentos de contas a pagar.

 

Para a maioria das empresas, o foco da solução digital para lidar com esses desafios é centralizar e automatizar os processos financeiros o máximo possível. De acordo com um relatório recente da IDC, que explora o sistema automatizado de gestão de faturas da SAP Concur, a transformação digital não deve apenas facilitar os processos, mas também proporcionar economias que geram novas receitas.

 

As empresas devem considerar soluções que usam inteligência artificial (IA) e aprendizado de máquina para eliminar as atividades de lançamento de dados, gerenciar estratégias de fluxo de caixa e rastrear custos. A captura de faturas, por exemplo, pode ajudar as empresas a atender às diferentes necessidades dos clientes e a acompanhar custos previstos e inesperados em ambientes dinâmicos.

 

2. Tire proveito dos processos existentes.

Embora a transformação digital possa muitas vezes ser associada a tudo o que é “novo” e “inovador”, ela nem sempre se trata de reinventar a roda. É uma forma de aperfeiçoar e de tirar proveito dos processos existentes, e, em última análise, de simplificar os fluxos de trabalho e canais de contato dos clientes.

 

As empresas devem revisar seus portfólios de serviços atuais. Que serviços tiveram uma boa repercussão junto aos clientes nesse período? Onde houve maior demanda dos clientes? Como as empresas podem ser mais eficientes, seja nas linhas de frente de vendas ou na área administrativa? Uma auditoria pode ajudar as empresas a priorizar os serviços que mais se beneficiariam com a digitalização e a entender como otimizar melhor as soluções para atender às expectativas dos clientes e às operações comerciais de hoje.

 

3. Firme parceria com os clientes.

É cada vez mais importante entender os desejos e as necessidades dos clientes para se manter relevante. Embora a tecnologia evolua rapidamente, as empresas devem estabelecer um diálogo franco e de confiança com os clientes, que possa apresentar oportunidades e identificar desafios. Apesar da importância do feedback positivo dos clientes, entender o que não está funcionando bem é ainda mais relevante.

 

Essas conversas nem sempre são fáceis, mas são essenciais para manter a vantagem competitiva e se tornar líder do setor.

 

As empresas devem identificar canais de contato com os clientes para obter percepções sobre qualquer área problemática e para implementar soluções que melhor atendam às necessidades dos clientes.

 

4. Capacite o pessoal.

De acordo com uma pesquisa realizada pela KPMG, 80% do crescimento da receita dependerá de ofertas e operações digitais até 2022. Isso significa que os serviços digitais devem se tornar parte do DNA de uma empresa.

 

Na maioria dos casos, a automação ajudará a reduzir ou até mesmo a eliminar erros humanos. A análise de dados pode revelar como as expectativas estão mudando e as pessoas irão traduzir esses dados em ação, dar início a mudanças e gerar o impacto nos negócios.

 

Com a transformação digital, surge a necessidade de treinar e capacitar novamente os colaboradores em relação a novas tecnologias. Investir nas habilidades digitais dos colaboradores permitirá que eles atendam melhor às necessidades da empresa, permaneçam relevantes e atuem como embaixadores da mudança. No futuro, as empresas devem oferecer treinamentos que capacitem os colaboradores a trabalhar em conjunto com a tecnologia.

 

A transformação digital, quando feita corretamente, permitirá que as empresas atendam às expectativas em constante evolução dos clientes, fiquem à frente da concorrência e, possivelmente, assumam um papel de liderança em um ambiente de negócios desafiador. As organizações estão sendo postas à prova: mobilize-se rapidamente e conquiste a transformação digital.